Gênesis - Esaú e Jacó

“Ora, Isaque orou insistentemente ao Senhor por sua mulher, porquanto ela era estéril; e o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu.”

(Gn 25:21)

Pela história de Isaque sabe-se que Rebeca foi estéril por cerca de vinte anos. Isso deu a Isaque a oportunidade de mostrar a sua fé na promessa de Deus a Abraão, de abençoar todas as famílias da terra por meio de um descendente seu que ainda não havia nascido (Gn 12:3).


O descendente prometido não viria pelo curso natural. Era necessária a intervenção divina e Isaque suplicou continuamente um filho a Deus (Gn 25:19-21). Esta é a segunda de cinco orações registradas na Bíblia rogando por um filho. A oração de Abraão (Gn 15:2); a de Isaque (Gn 25:21); a de Raquel (Gn 30:1,22); a de Ana (I Sm 1:10-11); e a de Zacarias (Lc 1:5-7).

Deus cumpriu Sua promessa no tempo certo e Rebeca concebeu (Gn 25:21). Durante a gravidez, não havia harmonia entre os irmãos. Mesmo antes de nascerem, já lutavam entre si (Gn 25:22). Deus respondendo a oração de Rebeca esclareceu que os dois seriam progenitores de povos distintos, um seria mais forte que o outro e o mais velho serviria o mais novo.

Aos sessenta anos de idade Isaque e Rebeca tiveram a benção do nascimento dos gêmeos Esaú e Jacó (Gn 25:22-26). Os gêmeos tinham caráter e características físicas bem diferentes. Esaú, cujo nome significa “peludo”, foi primeiro a nascer. Era ruivo, por isso recebeu o apelido de Edom, peludo e ao crescer tornou-se um perito caçador. Jacó, que significa “suplantador”, nasceu agarrado no calcanhar do irmão. Era pacato, agricultor e habitava em tendas. Esaú vivia para os prazeres materiais, enquanto Jacó ambicionava as bençãos de Deus. Esaú gozava da preferência do pai, por ser caçador. Jacó era o preferido de sua mãe por ser manso e caseiro (Gn 25:27-28).

Segundo a tradição, o filho primogênito tinha direitos exclusivos. Naquele tempo, ser o primogênito era garantia de vantagens em relação aos demais irmãos. Caso o pai fosse importante, algum líder, o primogênito herdaria a liderança e o primeiro a ser abençoado.

Rebeca tinha certeza que Jacó era o verdadeiro herdeiro da benção de Deus, pois soubera ela interpretar a profecia "o maior servirá ao menor" (Gn 25;23). Jacó era bom cozinheiro e preparou um saboroso guisado vermelho que despertou o apetite de Esaú que voltava cansado de uma caçada (Gn 25:29).  Jacó vendo uma oportunidade para fazer um bom negócio, revelou-se aproveitador e oportunista, serviu-se do momento de fraqueza do irmão e propôs compra-lhe a primogenitura (Gn 25:31). Esaú era um materialista e não lhe importava a primogenitura (Gn 25:32), mas este direito envolvia autoridade e superioridade sobre a família, porção dobrada da herança paterna e benção especial do pai. Sem perda de tempo, Jacó fez Esaú jurar que abdicava desse direito, em favor dele (Gn 25:33). Por um pedaço de pão e um guisado de lentilhas Jacó adquiriu o direito de primogenitura de seu irmão (Gn 25:34). Jacó dava muito valor ao direito de primogenitura e pagaria bastante por ele.

Aos cento e trinta e sete anos de idade, Isaque, quase cego e recolhido a sua tenda, achando que iria morrer, instruiu seu filho Esaú que fosse caçar e preparasse uma comida para ele e depois o abençoaria antes de morrer (Gn 27:1-4).

Rebeca ouviu a conversa e, juntamente com Jacó, elaborou um plano para enganar Isaque com a finalidade de obter a benção para Jacó. Rebeca tinha certeza que estava fazendo a vontade de Deus e aconselhou a Jacó a se passar por Esaú e receber a benção (Gn 27:5-29). O plano era preparar um saboroso guisado como Isaque gostava, depois vestir-se como Esaú e presentear Isaque com  a comida (Gn 27:6-10).

Jacó sentiu-se desconfortável ao entrar na tenda de seu pai cego, vestindo as roupas de Esaú e cheirando ao campo, para declarar: "Eu sou Esaú, teu primogênito" (Gn 27:19). Isaque ficou na dúvida, mas abençoou Jacó pensando ser Esaú (Gn 27:23-29).

Jacó beijou a seu pai.  Este foi o primeiro dos  três beijos de traição que a Bíblia descreve (Gn 27:26).  Os outros beijos de traição foram o de Joabe ao matar seu irmão (2 Sm 20:9) e quando Judas beija a Cristo, para enganá-lo (Mt 26:49).

Em seguida chega Esaú de sua caçada e descobre a fraude (Gn 27:30-34). Duas vezes Jacó enganou Esaú. Tirou-lhe o direito da primogenitura e a benção paterna (Gn 27:36). Esaú chorou amargamente por ter sido enganado, mas também foi bendito pelo pai (Gn 27:38-40). O fato criou uma inimizade grande entre os gêmeos. Esaú  se propôs a matar seu irmão após a morte do pai (Gn 27:41). Jacó tentou suplantar seu irmão por meios errados, desviando-se da vontade de Deus para sua vida.

Esaú, embora primogênito, não era merecedor da herança. O texto bíblico simpatiza por Jacó. Ele é digno de herdar a seu pai. Ele carregará honradamente a pira da verdade de Abraão. É ele o merecedor das bênçãos que Isaque herdou de seu pai, e não Esaú, o "perito caçador, homem do campo" (Gn 25:27). Pois lá, nos campos onde Esaú vivia, reinavam outras leis, diferentes das leis herdadas de Abraão.

Do texto do capítulo 27, de Gênesis, pode-se extrair valiosas lições. O inimigo conhece os momentos de fraqueza do ser humano. E naquele momento, assim como fez Jacó a Esaú, ele oferecerá exatamente aquilo que se precisa; a mentira é um pecado especialmente incentivado por Satanás, é ele o pai da mentira (Jo 8.44); e, os prazeres mundanos causam renúncia da benção de Deus.

Apesar do engano Isaque abençoou Jacó confirmando assim a atitude equivocada de Rebeca, que passou por cima da autoridade paterna.

É perceptível que, Esaú não vendeu qualquer coisa. Certamente deveria pensar, ou “pensou muito bem” antes de vender sua primogenitura. No final, o seu padecimento, evocando o seu instinto, falou mais alto.

12 comentários:

  1. Em algum momento a Bíblia relata que Jacó era agricultor?Fiquei na dúvida.Pode me esclarecer por favor?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9:19 PM

    Genesis 25:27

    ResponderExcluir
  3. Anônimo3:17 PM

    Muito obrigada ajudou muito esse texto tenho pouco tempo de convertida e aprendi muito.
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. Ao meu ver, se ele morava em tenda (Gn.25.27) ele era pastor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É possível que Jacó fosse agricultor por ser mais caseiro que o irmão. Isaque e seus filhos eram nômades, mas levavam uma vida agropastoril, o que pode ser evidenciado em Gen 27:37, em que Isaque diz a Esaú que fortalece seus filhos com trigo e mosto. Logo, é plausível que em certos acampamentos, em períodos mais longos, eles cultivavam. Na função pastoril os homens se afastavam do acampamento por vários dias. Jacó era caseiro e, provavelmente, usasse a terra para cultivo a fim de suprir a familia de Isaque.

      Excluir
  5. Anônimo5:06 PM

    O que Raquel fazia quando Jacó a encontrou pela primeira vez?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De Betel Jacó viajou para Harã e sabia que não ia sozinho. Seus pais ficaram para trás, mas o Deus de Abraão e de Isaque o acompanhava. Em Harã encontrou com sua prima Raquel que apascentava as ovelhas de seu pai e ao ajudá-la a dar de beber aos animais, apresentou-se e a saudou com beijos e lágrimas (Gn 29:1-12). http://gigliologia.blogspot.com.br/2013/11/genesis-o-enganador-e-enganado.html

      Excluir
  6. O nome jaco aquele que agarra por isso se chamou jaco

    ResponderExcluir

1. Reservamos o direito de não publicar críticas negativas de "anônimos". Identifique-se por seu e-mail e pela URL de seu blog ou home page e terá sua opinião publicada.

2. Os comentários serão aprovados segundo nossos critérios. Somente publicaremos os comentários que atendam propósitos relativo ao tema.

3. Discordar não é problema. Na maioria das vezes pode redundar em edificação e aprendizado. Contudo, faça-o com educação. Não toleraremos palavreado torpe, ofensivo e inconveniente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...