Gênesis - Lameque

“Lameque tomou para si duas mulheres: o nome duma era Ada, e o nome da outra Zilá.” (Gn 4:19)

Lameque mencionado no livro de Gênesis como filho de Metusael e um dos descendentes de Caim da quinta geração (Gn 4:18-19), foi o primeiro homem a praticar a poligamia (Gn 4:19) e também era um assassino que matou um homem e um jovem (Gn 4:23). Lameque e os seus filhos foram muito influentes na história da humanidade. Infelizmente, como Caim, a sua influência não foi para o bem. Esta família fez grandes progressos, mas nenhum deles foi de âmbito espiritual.

A Bíblia diz que Lameque teve duas esposas. O nome da primeira era Ada que teria sido mãe de Jabal, que foi o pai dos que habitam em tendas e possuem gado e de Jubal, pai dos músicos (Gn 4:20-21). A segunda esposa chamava-se Zilá que foi mãe de Tubal-Caim, o primeiro ferreiro e de sua irmã Naamá (Gn 4:22).

Os descendentes de Caim deixaram um legado de iniqüidade e maldade. Tornaram-se auto-suficientes e a violência cada vez mais se multiplicava gerando uma sociedade hostil e competitiva. Começava o olho por olho, dente por dente. Esta era uma geração assassina e sábia.

Caim e seus descendentes não estavam mais dispostos a viver em conformidade com o padrão, então, Deus estava morto para eles. Faziam suas próprias leis. Lameque havia matado alguém que tentou matá-lo e também outra pessoa. Vangloriava-se disso e não necessitava da proteção de Deus como Caim.

Lameque é, também, o primeiro compositor de hinos, a expressão “ouvi a minha voz” em Gênesis 4:23, refere-se a um poema ou hino. As palavras deste hino revelam quão ímpio Lameque era. Neste hino, explica às suas esposas que matou um rapaz em legítima defesa. Seu crime não foi premeditado. Ele não se orgulha somente de sua vingança, mas diz que faria mais para se vingar do que Deus poderia ter feito para vingar Caim se ele tivesse sido morto. O orgulho de Lameque e sua confiança foram inflamados pelo fato de seu filho Tubalcaim ter feito a primeira espada ou lança.

A canção de Lameque tem um tom de auto justiça. No versículo 24, ele parece justificar suas ações. Este pensamento parece estar implícito: "Eu sou mais justo do que Caim, pois eu matei quem merecia morrer, portanto, quem me ferir, deve ser duramente vingado". “Se Caim há de ser vingado sete vezes, com certeza Lameque o será setenta e sete vezes”. A proporção não é em função do castigo dado a quem matasse Caim, mas em relação ao número de assassinatos. Lameque matou duas pessoas, enquanto Caim matou uma.

Os homens aprenderam cedo a justificar suas próprias ações, apontando para os pecados dos outros.

O personagem principal deste estudo nada tem a ver com Lameque, pai de Noé, da genealogia de Sete, filho de Adão.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...